quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Relato 32 – O que era pra ter sido e não foi...


Meninas que ainda não casaram, muita atenção a esse post. Fiquei decepcionada com algumas coisas no meu casamento, como vocês verão abaixo. Não, meu grande dia não foi perfeito. Imprevistos acontecem, sempre. Só que algumas, mais perfeccionistas e controladoras, como eu, ficam remoendo isso mais que outras. 

Me dei conta disso quando li um post da Sammia falando exatamente sobre isso, sobre o tempo que ela precisou pra digerir as coisas que não havia gostado no casamento dela e torná-las pequenas diante de todo o resto. E foi aí que entendi que aquelas pequenas coisas que estavam me incomodando não tinham a menor importância! Que nada, nadinha apaga o brilho daquele dia mágico! Que ele não foi perfeito, mas foi o dia mais feliz da minha vida sim! Que eu sou uma pessoa abençoada e pude fazer tudo do jeitinho que sempre quis, e só posso agradecer por isso! Que eu preciso dar às coisas o seu devido valor e agradecer todos os dias pelo homem maravilhoso que eu escolhi para ser meu marido, e que me escolheu para ser sua mulher! 

E depois de entender tudo isso, comecei a lembrar só das sensações maravilhosas que experimentei naquele dia e a não mais me importar com as pequenas coisas que deram errado ou não foram exatamente como eu queria!

E é por isso que resolvi fazer esse post, para que vocês saibam que nem tudo sai exatamente como a gente imagina, mas que isso no final das contas será pequeno diante de todo o simbolismo do grande dia! 

Portanto, aproveitem TUDO e relaxem diante dos imprevistos, porque eles não têm a menor importância!

1- A chuva – É claro que tinha que começar por ela, né? rs Rezei muito para que não chovesse, chorei, me descabelei. Mas infelizmente há coisas sobre as quais não temos controle e o tempo é uma delas. Queria ter casado ao ar livre, exatamente por isso escolhi o Meio do Mato. Mas a verdade é que também ficou lindo com o toldo e algumas pessoas comentaram até que assim ficou mais aconchegante! Sem falar nas velinhas penduradas, que todo mundo amou. No final das contas, nem lembrei do toldo quando chegou minha vez de entrar...

2- Conseguir ver a decoração – Vocês sabem o quanto fui bridezilla e o quanto pensei em cada detalhezinho. Por isso, fiquei super frustrada por não ter tido tempo de ver a decoração, mesmo vendo em fotos. Mas o tempo se encarregou de curar essa “mágoa”!

3- Ter mais tempo para as fotos – Fiquei pronta com 1 hora de atraso, o que não me deixou ver a decor e reduziu significativamente o tempo que eu tinha para explorar o jardim do sítio. Até as fotos no balanço foram corridas! Mas conseguimos fazer fotos lindas mesmo assim, e muito mais do que eu precisava para o álbum!

4- Tirar todas as fotos que tinha imaginado – Eu tinha uma pasta de inspirações, tanto para as minhas fotos como para as fotos com o noivo pós-cerimônia. Coisas como girar no jardim e deitar na grama pra tirar uma foto no estilo sweet love estavam nos planos. Vocês lembraram? Eu também não... (lógico que a sweet love na grama molhada não ia rolar, ia ter que ser no chão mesmo...)

5- Cerimônia mais pessoal – Na 6ª feira antes do casório, fomos para uma entrevista com o padre e para a “prévia”, que era de fato a cerimônia religiosa. Nessa prévia, em que estávamos só nós dois, nossos pais e irmãos, ele falou várias coisas sobre a gente, sobre a nossa trajetória e sobre as impressões dele sobre nosso relacionamento. Disse que via que a gente tinha uma boa base familiar, que estávamos dando aquele grande passo bem conscientes, enfim, que via em nós um bom futuro. Achei que isso fosse se repetir no sítio, mesmo porque na cerimônia que assistimos antes de fechar com ele foi assim, mas ele acabou não falando nada além do tradicional, das palavras que o sacramento do matrimônio requer. Fez a cerimônia das velas, que é bonita mas eu nem sabia que ia ter e nem fazia questão também, preferia que ele “gastasse” esse tempo falando da nossa história. Não sei se deixou de falar porque atrasou um pouco, mas enfim, nesse ponto fiquei um pouco chateada...

6- Falta do texto tradicional dos noivos – Sempre quis falar o tradicional “na alegria e na tristeza, na saúde e na doença...”, mas não foi isso o que aconteceu no sítio. Não sei se pelo fato de estar no sítio, de repente ele entende que não pode ser tudo igualzinho à cerimônia dentro da igreja, mas eu devia ter deixado isso claro também. Na prévia falamos tudo desse jeitinho de sempre, o que ameniza MUITO minha decepção nesse ponto, mas o problema é que lá ninguém estava filmando nem fotografando, então não vou poder rever...

7- Falha no som da cerimônia – O sanfoneiro que tocou na cerimônia foi arrumado às pressas, uma semana antes, e ainda teve um problema no computador, perdeu tudo o que tinha feito e só foi terminar de preparar tudo no sábado às 9 horas da noite. É verdade que não consegui prestar muita atenção na música, mas reparei que pelo menos na entrada das crianças teve uma falha. A música parou, ficou alguns segundos em silêncio e depois começou de novo a mesma música. Como ele tinha gravado o fundo de teclado, provavelmente acabou a gravação antes que as crianças terminassem o caminho, aí até ele botar pra tocar do início de novo ficou esse gap. Mas nem posso culpar o cara, porque foi o salvador da pátria em aceitar fazer o trabalho com uma semana só de antecedência.

8- A pista não lotou até o final – Não digo nem que não bombou, porque a gente não deixou o povo que estava por ali desanimar, mas muita gente foi embora antes de acabar a festa, acho que por medo de errar o caminho na volta, e como a pista mudou de lugar por causa da chuva e ocupou um espaço maior, dava a sensação de pista vazia, porque cada grupinho ficava em um canto. Mas que fique bem claro que todo mundo super elogiou o DJ!

14 comentários:

Rebeca disse...

Como você falaou. acho que não existiu na história um casamento que tenha saído EXATAMENTE como os noivos imaginaram, mas devemos saber valorixar o que DEU CERTO. Certas coisas não valem a pena serem remoídas! Foi um dia feliz e ponto! Bjos.

Renata Biangolino disse...

Descobri seu blog ontem e estou AMANDO!!!! Já vi algumas fts do grande dia e nossa.... q coisa linda!!! Parabéns e mts felicidades :)

Bjs

Icara Thiago disse...

E eu já estou pensando em como não pirar e remoaer as coisas que não sairão do jeitinho que imaginei...
O importante é focarmos no melhor do nosso dia né!

Beijos
Icara e Thiago
Noivos em Apuros

Cris disse...

Perfeito nunca é mas o que vale é o lindo momento e no final ficar junto pra sempre com a pessoa amada hehe
Bjs

Luana Sousa disse...

Taty eu sou mtoooo perfeccionista,estou me pegando com mtoos detalhes,e vejo esses post do que deu e o que não deu..eu paro pra pensar,sabe!



Bjos

Iara disse...

REalmente com o tempo vamos esquecendo um pouco a raiva do que deu errado e amando as lembranças boas mais que tudo. Eu fiquei p. com a decor da igreja, e a cada dia isso fica menos importante perto de todo o resto que amei!
Bjão

Suzana disse...

Menina, sabia que eu adoro quando as noivas contam as coisas que deram errado, não porque eu fico torcendo para que as coisas deem errado, mas para dar a certeza que no dia, vc e o noivo estarem lá curtindo o seu dia, nenhum outro detalhe não fará a diferença.
O seu casamento foi um dos mais lindos que já vi até hoje, convidados e noivos curtindo cada momento, vc´s então, eram a felicidade em pessoa, então tá mais do que provado que os detalhes que nao deram certo não estragaram em nada o brilho do grande dia.

Beijos

Anônimo disse...

Tati, vc teve o casamento mais lindo do mundo dos blogs!!! tudo isso que vc escreveu sao só detalhisinhos que so a noiva percebe... tenho certeza que se vc perguntar pro seu noivo, ele vai dizer que nem notou nada disso...
A cerimonia, por exemplo: pelo que li, vcs fizeram votos personalisados que emocionaram todo mundo (os quais eu ainda estou ansiosa pra ler...). Acho que foi por isso que o padre pulou os tradicionais "na alegria e na tristeza etc", Essa parte, nada mais é do que os votos, pra quem nao quis escrever "de próprio punho". Ter tudo significaria deixar tudo repetitivo... As fotos que vc postou aqui mostram a pista lotada e animada! é difícil mesmo fazer as pessoas dançarem por 5, 6 horas...casamento tb serve pra reencontrar amigos de longa data, reunir a turma... e, nessas horas, papear é fundamental!
Parabéns pelo casório! E que a alegria daquele dia se repita todos os outros dias de sua vida. A festa de casamento é só o início!

Anônimo disse...

Cara, as meninas estão certas! Seu casório foi lindo, lindo, lindo, lindo... Já perdi a conta do número de fotos q roubei daqui como inspiração...rsrs A decor, as fotos, o vestido, cada detalhe, tudo ficou ótimo! Agora, eu q sou novata, fiquei com uma dúvida: esse negócio de inspiração de pose para fotos, não dá pra passar pro fotógrafo com antecedência pra ele te lembrar? Pq fica difícil lembrar de tudo...rsrs Beijo!

Thais Coelho disse...

Nossa, obrigada por postar isso! Nós noivinhas ficamos muito ansiosas e as vezes ficamos paranóicas. Se acontecer algo no meu casamento vou só relevar e continuar a festa, afinal só eu que vou saber o q deu errado mesmo né???
bjussssss

Gi Moreira disse...

Tati... seu casamento foi PERFEITO!! Eu amei, achei tudo muito certinho! Essa falha na música nem atrapalhou! Pior foi no casamento da minha mãe, em que o chafariz do bolo não funcionou, kkk! E eu estava no último grupo a ir embora, hein! Hahaha, aproveitei mto!

Bjs

Doce Lis disse...

Li o texto e pensei. Tadinha deve ter ficado horrivel a festa, mas ai fui ver as fotos abaixo e genteeem para tudo, casamento de novela, quanta coisa linda, parabéns, é o casamento dos sonhos de muita gente viu...

Tatá e Lipe disse...

Ai, ai, Tati... Bem te entendo agora... Muitas coisas nao sairam como pensei e ha 4 dias venho pensando em tratá-las como detalhes frente a felicidade que foi o nosso casamento... Mas eu bem peço a Deus as vzs para voltar no tempo e fazer diferente... rsrs.
Bjs, felicidades!

Carolina disse...

Toda noiva deveria ler este post. É incrível como pequenas coisas que não dão certo acabam virando o foco! Não pode!
Beijinhos, Carol Eloy